Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2014
o coração desgoverna-se demasiado facilmente
há dias que não lavo a roupa, que não faço triagem
perdia a conta às horas e memórias que devia ignorar:
talvez por não as fazer, talvez por não as viver,
nunca soube operar na inoperância.

"o tempo que passou, passou a ferro
a roupa que lavou, tingiu de negro
queria perecer a dançar no vendaval
como pano amarrotado que se esquece no estendal"