Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2016

Clepsydra

E escutando o correr da água na clepsydra,
Vagamente sorris, resignados e ateus,
Cessai de cogitar, o abismo não sondeis.
O exposto é o de escorrer o tempo por um prato furado. Gota a gota, esse grande ladrão engole cada momento cujos abraços não foram capazes de envolver. Desvela o nevoeiro destas ilhas por que passam os nossos barcos, para as recobrir prontamente, quando as águas são passadas. Segundo a segundo, gota a gota, conta-se na medida em que se o pode fazer.

As luzes do farol da minha constante e recorrente decadência prendem-se com três ou quatro pressupostos que podem constituir-se ou não como pensamentos da ficção ou da própria realidade, nas fracturas que cada uma chicoteia à outra. Estas luzes, racionais, submersas, cobertas, obscuras, vêm de uma noção quebrada da realidade, como o vidro da janela ocular que é translúcido, ou quebrado noutros fragmentos do mesmo bloco de vidro.

Uma primeira ideia é a da submersão. Submersos nas partículas de Hidrogénio [H] que nos rodeia…