Guzmánia

no corredor destes arbustos
no meio do escuro húmido
da noite onde tudo fica (que é a mesma)

há uma excepção de tudo
a luz ecoa as cores cristais
um desfazer que de tudo é feito

pelas ervas há uma flor
como tantas, mas esta mais
mesmo mesmo, muito mais

e o vermelho recobre sem cobrir
destapa o fumo azul a luzir
do negro reflexo que tudo esconde

as vermelhas cadeias de vapor do I. orgulho,
o negro II. encher-se de si próprio III. arrogante,
a verdade IV.frágil e insustentável, que treme.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Interlúnio

Responsabilidade

rant #newshadeofdark