rant #newshadeofdark

de que me vale fazer-te pagar pelo pecado, quando toda a tua vida foi desgraça? desgraçada redenção, futuro de perder de vista. fugas de um karma inexistente, de inimigos invisíveis congeminadosà maneira do nevoeiro que se abate sobre o deserto? de que me valem as tuas escolhas se não quero que te debruces sobre as minhas? se tu queres que a inveja seja o teu super-poder, segue em frente, mas é ridículo continuares a maquilhar-te de vítima.
ao meu coração um peso de ferro. à nebulosa do nome chegue a escuridão abarcada. que se transforme o remédio e o veneno nos nomes que lhes dás. à nebulosa, uma gravidade estável, que te explico: os diamantes a que chamo amigos foram injectados por intravenosa - o processo mineralizou o sangue que agora gela o suficiente para que seja encargo do coração cegar-se quando precisa. evitar tocar na lama, usar saltos altos com finalidade pragmática. qualquer tipo de abandono, que se preze desse nome (os teus abandonos nunca serão autênticos o suficiente para que o sejam), aqui, é meu. como tudo o que degenera neste ocaso são as mais magníficas flores do mal - o oxigénio invernal deste degredo infernal. gelam-me as veias pelos defuntos.

como me habituei a isto. como é confortável o trono. como é boa a vida.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Interlúnio

Clepsydra

Responsabilidade