Passado/Memórias Redux

"I had to erase their past in order to guide them to the future."
"You are wrong. Although I've wished to be stronger and I've wanted to change... I realized that losing my past would mean losing myself."


Foram as frases com que me deparei hoje. As duas no mesmo diálogo. Não são fantásticas? A forma como tratam uma escapatória dos seres humanos a tudo? Inclusivé ao passado?
Mais ou menos dizem o seguinte(para quem não sabe inglês):
"Tive de apagar o passado deles para os guiar para o futuro."
"Enganas-te. Mesmo que tenha tentado ser mais forte e tenha querido mudar... Percebi que se perdesse o meu passado, significaria perder-me a mim mesmo."


Por um lado, a primeira frase tem o seu ponto de vista, mas muito obscuro e invisível aos olhos de muitos. Existem pessoas que se apegam muito ao passado. Pensam em tudo o que fizeram para lhes correr mal alguma coisa, ou bem. Essas pessoas estão presas a esse passado e merecem ser soltas, tal como todas as pessoas. Temos de seguir em frente, e olhar(ou não) aos erros do passado, criando um futuro melhor, baseados nos actos do presente. E é assim.

A segunda é tambem verdade. Muitas vezes ouvi dizer o seguinte "Segue em frente, não olhes para o passado" mas sempre pensei "isto não tem nexo nenhum". Sigo um lema que ouvi recentemente, aliás já o segua dantes... mas nunca por essas palavras, foi esse o lema que me incentivou a seguir o caminho que sigo e a estudar história(mais ou menos), e assim, aplico tudo o que sei para seguir em frente mas de uma outra forma. Eis o lema:
"Conhecer o passado para não errar novamente no futuro"
O lema realmente diz tudo. As pessoas que dizem "Segue em frente, não olhes para o passado" renunciam a algo importante. Os erros que os levaram a dizer isso. Inúmeras histórias me passaram pelas mãos enquanto amigo e nunca disse isso para incentivar as pessoas. As pessoas têm de aprender com os seus erros e não os repetir.

Agora, o ponto de vista pessoal:
Considero a segunda frase mais importante e mais explicativa que a primeira. Pessoalmente, foi isso que me aconteceu. Ao inicio, renunciei ao meu passado, queria conhecer o mundo e libertar-me da vida rotineira que tinha... mas a vida rotineira que tinha nunca deixou de me preocupar. Foi um erro mesmo ter querido libertar-me, por um lado. Mas foi esse erro que me reuniu com outras pessoas ás quais tinha renunciado. Errei, tomei consciência, pensei outra vez, pedi desculpa, voltou tudo ao normal. Excepto o facto de estar constantemente ainda a conhecer o mundo. Continuo a dar-me com as pessoas de antes. Mas conheço novas pessoas. E junto-as todas. É este o poder da amizade, o poder de criar um grupo do tamanho que quisermos com as pessoas que mais queremos lá dentro.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Voa (Sonho)

A maldição.

Caos reflectido [666]